laser

Laser no tratamento da neuropatia diabética

As primeiras pesquisas sobre o uso do laser na medicina datam da década de 60 e sua primeira aplicação ocorreu na área da oftalmologia. De lá para cá, a laserterapia evoluiu e o seu uso foi ampliado para outras disciplinas e no tratamento de diversas doenças. Uma das áreas que tem se beneficiado do uso do laser é a neurologia. Seguro e eficaz Um estudo feito pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP concluiu, após uma série de resultados positivos, que o uso de laser de baixa intensidade é um tratamento seguro e eficaz para a neuropatia diabética, uma doença…

Pé diabético: é possível ter os sintomas sem ter o problema

Vasculite (redução ou bloqueio do suprimento de sangue para os nervos), AVC (acidente vascular cerebral), esclerose múltipla, síndrome de túnel do carpo, hérnias discais, osteoartrite ou lesões na região da medula espinhal, são algumas doenças que podem provocar dormência, formigamento, agulhadas, inchaços e a diminuição gradativa da sensibilidade em determinadas regiões do corpo.1 Embora grande parte desses sintomas sejam indícios de que há alguma neuropatia (alterações nos nervos) ou angiopatia (má circulação sanguínea), problemas de saúde cuja ocorrência é maior em pacientes diabéticos e com idade mais avançada, isso não significa que a pessoa tem pé diabético.   Neuropatia diabética:…

Cuidado com as feridas diabéticas

As estimativas indicam que ocorrem duas amputações por minuto no mundo, causadas por pé diabético, sendo que 85% destas são precedidas por úlceras,1 feridas que não saram e acabam levando a complicações que muitas vezes não deixam outra alternativa senão a amputação total ou parcial do membro afetado. Como surge, se desenvolve e evolui uma ferida diabética? Devido a uma lesão nos nervos conhecida como Neuropatia Diabética Periférica, o paciente diabético vai aos poucos perdendo a sensibilidade à dor nos membros. Assim, uma topada, um espinho, uma queimadura, a ponta de um prego que entrou na sola do sapato, um…

1. PÉ DIABÉTICO NÃO TEM CURA. MAS DÁ PARA PREVENIR.

Pé diabético não tem cura. Mas dá pra prevenir.

O pé diabético não tem cura, mas pode ser prevenido ou tratado quando surgem complicações. Principais formas de prevenir o pé diabético O controle da glicemia é uma estratégia importante, entre outras, para a prevenção do pé diabético.1 Mas deve-se estar atento a sintomas como queimação, pontadas, agulhadas, formigamentos, dormência, dores, sensação de frio, cãibras, pele ressecada e fissuras nos pés.2 Dicas de rotina – Observar os pés diariamente, com uma boa iluminação, tentando identificar cortes, bolhas e alteração da cor – Lavar e secar bem os pés, inclusive entre os dedos – Usar creme hidratante, mas não entre os…

Prevenção do pé diabético: por onde começar?

Consegue encaixar um minutinho por dia na sua rotina? Isso mesmo, um minutinho. Pode parecer pouco, mas significa muito quando o objetivo é a sua saúde e bem-estar. Prevenção faz parte da rotina.¹ A rotina de cuidados quando a gente pensa na prevenção do pé diabético, começa por dedicar um minutinho à auto-observação diária dos pés. Um minutinho para olhar para eles com atenção e certificar-se que não têm rachaduras, calos, bolhas, pequenas feridas e cortes, inchaços ou frieiras. Um minutinho para observar a sensibilidade da pele, evitar a umidade enxugando bem entre os dedos e usar um bom creme…