Oxigenoterapia hiperbárica no tratamento de feridas diabéticas

O que é Oxigenoterapia Hiperbárica.  A Oxigenoterapia Hiperbárica – OHB, é a administração de uma fração inspirada de oxigênio próxima de um (oxigênio puro ou a 100%) em ambiente com uma pressão superior (duas a três vezes) à pressão atmosférica ao nível do mar. Este aumento de pressão resulta em aumento da pressão arterial e tecidual de oxigênio (2000 mmHg e 400 mmHg, respetivamente). O Oxigênio Hiperbárico surgiu em 1622 e o seu uso para fins medicinais foi se expandindo até o século XIX, sendo usada para tratar doenças como: tuberculose, cólera, surdez, anemias e hemorragias. Em 1965 se documentaram…

Porque os diabéticos são mais vulneráveis à amputação?

O Diabetes Mellitus é uma doença metabólica crônica, autoimune, caracterizada pela deficiência da produção de insulina pelo organismo, que pode levar a uma série de complicações, entre as quais se destaca o pé diabético, um problema cujas consequências, quando não prevenido e cuidado a tempo, pode implicar em consequência graves como a amputação de dedos, pés ou pernas. Segundo estatísticas, o diabetes é a causa número um para amputação de membros. A vulnerabilidade começa como consequência da Neuropatia Diabética, quando os nervos responsáveis pela sensação de dor e tato estão afetados pelo diabetes, causando perda da sensibilidade a machucados e…

insulina

Insulina, 100 anos de avanços na luta contra o diabetes.

Algumas descobertas da ciência mudaram para sempre a vida de milhões de pessoas. Um delas foi descoberta da insulina em 1921 por Frederick Banting e Charles Best, no laboratório do professor de fisiologia John J. R. MacLeod, que rendeu à equipe de estudiosos o prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia. Depois da insulina, a qualidade de vida dos pacientes diabéticos melhorou sensivelmente e houve muitos avanços na monitorização e no tratamento da doença.¹,² Diabetes: uma história que começa muito antes da insulina.   O papiro Ebers, descoberto pelo alemão Gerg Ebers em 1872 no Egito, é o primeiro documento conhecido a fazer referência a uma doença que se caracterizava pela emissão…

laser

Laser no tratamento da neuropatia diabética

As primeiras pesquisas sobre o uso do laser na medicina datam da década de 60 e sua primeira aplicação ocorreu na área da oftalmologia. De lá para cá, a laserterapia evoluiu e o seu uso foi ampliado para outras disciplinas e no tratamento de diversas doenças. Uma das áreas que tem se beneficiado do uso do laser é a neurologia. Seguro e eficaz Um estudo feito pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP concluiu, após uma série de resultados positivos, que o uso de laser de baixa intensidade é um tratamento seguro e eficaz para a neuropatia diabética, uma doença…