Pé diabético: é possível ter os sintomas sem ter o problema

Vasculite (redução ou bloqueio do suprimento de sangue para os nervos), AVC (acidente vascular cerebral), esclerose múltipla, síndrome de túnel do carpo, hérnias discais, osteoartrite ou lesões na região da medula espinhal, são algumas doenças que podem provocar dormência, formigamento, agulhadas, inchaços e a diminuição gradativa da sensibilidade em determinadas regiões do corpo.1 Embora grande parte desses sintomas sejam indícios de que há alguma neuropatia (alterações nos nervos) ou angiopatia (má circulação sanguínea), problemas de saúde cuja ocorrência é maior em pacientes diabéticos e com idade mais avançada, isso não significa que a pessoa tem pé diabético.   Neuropatia diabética:…

Joanete, esporão, frieira, pé de atleta, gota, unha encravada…

As doenças mais comuns nos pés têm nomes populares, dos quais quase todo mundo já ouviu falar, principalmente pelos pais e avós. Mas você sabe o que esses nomes significam, quais doenças denominam, como cada problema se manifesta e qual a relação que podem ter com o pé diabético e até com a amputação de membros?   Joanete O joanete é uma saliência no osso lateral do pé, próxima ao dedão. Geralmente provoca vermelhidão, dor e em alguns casos deformidade no primeiro dedo e até desvio do eixo do tornozelo, gerando instabilidade. O joanete pode aparecer também no quinto dedo,…

Diabetes e o risco de doenças cardiovasculares

Manter um bom controle dos índices glicêmicos é uma forma de viver com tranquilidade e sem sobressaltos. Porque a diabetes, sobretudo a Diabetes Mellitus (tipo 2) está relacionada ao surgimento de diversas complicações de saúde, tais como doenças renais, pé diabético, alterações na pele, problemas nos olhos como glaucoma, catarata e retinopatia.1 Mas talvez a mais perigosa ameaça à saúde de um paciente com diabetes seja o risco cardiovascular. Diabetes e infarto do miocárdio Uma das consequências e também um dos maiores perigos, agravados pela diabetes, são as doenças do coração. Homens com diabetes tem risco dobrado de infarto do…

Cuidado com as feridas diabéticas

As estimativas indicam que ocorrem duas amputações por minuto no mundo, causadas por pé diabético, sendo que 85% destas são precedidas por úlceras,1 feridas que não saram e acabam levando a complicações que muitas vezes não deixam outra alternativa senão a amputação total ou parcial do membro afetado. Como surge, se desenvolve e evolui uma ferida diabética? Devido a uma lesão nos nervos conhecida como Neuropatia Diabética Periférica, o paciente diabético vai aos poucos perdendo a sensibilidade à dor nos membros. Assim, uma topada, um espinho, uma queimadura, a ponta de um prego que entrou na sola do sapato, um…

Sensibilidade nos pés: como vai a sua?

Existem vários sintomas que podem indicar uma suspeita de pé diabético.1 Os primeiros, quase sempre estão relacionados a queixas de formigamento, dormência e perda de sensibilidade nos membros inferiores. Isso porque o pé diabético é uma consequência do que os especialistas chamam de neuropatia diabética, alteração nos nervos provocada, entre outras coisas, por um descontrole glicêmico (presença de elevados níveis de açúcar no sangue) em pacientes com diabetes mellitus, principalmente do tipo II.  Neuropatia e angiopatia. Inimigas de pés saudáveis. Os danos aos nervos (neuropatia) levam à perda de sensibilidade, fazendo com que o paciente não sinta a dor e o desconforto…

Pé diabético positivo? Saiba o que fazer.

Exames e testes para detecção do pé diabético. Existem diversos exames e testes para saber se um paciente com diabetes fora de controle está com o pé diabético. Desde os mais clássicos, aplicados em clínicas e hospitais, como o Monofilamento de 10g, o Diapasão 128 Hz (sensibilidade vibratória), o Pino ou Palito e o Bioestesiômetro (conhecido como martelo),1 até aos mais simples como Neuropad, um teste fácil, rápido e indolor que apresenta resultados seguros em apenas 10 minutinhos e pode ser feito em casa pelo próprio paciente.  O seu teste deu positivo, e agora? Muito bem, você fez o teste para pé diabético e deu positivo. A primeira…

qual o medico do pe diabetico

Conheça os médicos que cuidam do pé diabético

O pé diabético é uma complicação decorrente da diabetes mellitus, que atinge até 1/3 dos pacientes diabéticos e que, se não for detectada e tratada adequadamente, pode levar a sérias complicações e até mesmo à amputação.1  Por ter diversas causas em sua origem, desde uma unha encravada ou uma bolha no pé até feridas profundas que não cicatrizam, decorrentes da neuropatia (alteração dos nervos) e a angiopatia (má circulação sanguínea), os especialistas mais indicados para tratamento do pé diabético são o endocrinologista e o cirurgião vascular.2,3   Trabalho em equipe  No entanto, outros profissionais de saúde podem diagnosticar o problema, possibilitando antecipar o tratamento. Entre eles,…

spa dos pés

Spa dos pés: versão moderna de uma prática antiga

Quando ouvimos falar de Spa lembramos logo de massagens corporais, tratamentos faciais e cuidados estéticos. Mas você sabia que muitos resorts, institutos de beleza e clínicas oferecem um programa de cuidados especiais para os pés? São os chamados Spa dos pés.1,2 O que mostra que, aos poucos, os pés vão abrindo caminho e conquistando o seu espaço.  O que é um Spa dos pés  O que conhecemos hoje como “Spa dos pés” é a versão moderna de uma prática antiga e reconhecida, adotada desde o tempo de nossos avós para o autocuidado com a saúde dos pés.3 O procedimento atual é um ritual que…

1. PÉ DIABÉTICO NÃO TEM CURA. MAS DÁ PARA PREVENIR.

Pé diabético não tem cura. Mas dá pra prevenir.

O pé diabético não tem cura, mas pode ser prevenido ou tratado quando surgem complicações. Principais formas de prevenir o pé diabético O controle da glicemia é uma estratégia importante, entre outras, para a prevenção do pé diabético.1 Mas deve-se estar atento a sintomas como queimação, pontadas, agulhadas, formigamentos, dormência, dores, sensação de frio, cãibras, pele ressecada e fissuras nos pés.2 Dicas de rotina – Observar os pés diariamente, com uma boa iluminação, tentando identificar cortes, bolhas e alteração da cor – Lavar e secar bem os pés, inclusive entre os dedos – Usar creme hidratante, mas não entre os…

Prevenção do pé diabético: por onde começar?

Consegue encaixar um minutinho por dia na sua rotina? Isso mesmo, um minutinho. Pode parecer pouco, mas significa muito quando o objetivo é a sua saúde e bem-estar. Prevenção faz parte da rotina.¹ A rotina de cuidados quando a gente pensa na prevenção do pé diabético, começa por dedicar um minutinho à auto-observação diária dos pés. Um minutinho para olhar para eles com atenção e certificar-se que não têm rachaduras, calos, bolhas, pequenas feridas e cortes, inchaços ou frieiras. Um minutinho para observar a sensibilidade da pele, evitar a umidade enxugando bem entre os dedos e usar um bom creme…